NOTÍCIA ANTERIOR
Vereadores querem impeachment de Atila
PRÓXIMA NOTÍCIA
Funcionários públicos protestam usando preto para trabalhar e são repreendidos
DATA DA PUBLICAÇÃO 11/5/2018 | Cidade
Empresário diz ter bancado viagem de Donisete para a Disney
Empresário diz ter bancado viagem de Donisete para a Disney Foto: Mauá Agora
Foto: Mauá Agora
Citado na “Operação Prato Feito”, Donisete Braga (ex-PT, atual Pros) foi delatado pelo empresário e proprietário de uma das empresas presentes no relatório da PF (Polícia Federal). Segundo Fábio Favaretto, ele mesmo custeou uma viagem de Donisete para a Disney com toda a sua família, no ano de 2015.

Esta empresa é uma das citadas como fraudadoras de contratos na merenda em diversos órgãos públicos. Essa viagem de Donisete, sua mulher e seus filhos teria custado R$30 mil, incluindo alguns vinhos caríssimos. Em um dos diálogos que foram apresentados, Favaretto fala mais sobre o caso:

“Ano passado ele [Donisete] foi pros Estados Unidos, na Disney, ficou na minha casa, tudo por minha conta, eu gastei 30 mil dólares”

Na época, Donisete era prefeito de Mauá, filiado ao PT. A viagem foi do dia 31 de julho até o dia nove de agosto do ano de 2015.

Favaretto ainda cita, nos diálogos, que comprou tênis de corrida e celulares para o ex-prefeito, além de participar de atividades físicas com o mesmo:

“Aí eu comecei a cobrar, cobrar, cobrar, na boa, educadamente. P***, Donisete! Eu chamo ele de Doni. Ô, Doni, pô, e aí e tal. A gente mandava zap (Whatsapp), eu lá e ele aqui. Agora há três meses, ele falou: ‘Tô muito ocupado, não dá pra te atender não, cara, depois quando você vier pra cá a gente conversa pessoalmente’. Eu falei assim: ‘Cara, eu não quero mais, não precisa mais, vai tomar no teu c***!”

– Logo antes de descrever um encontro que teve com o ex-prefeito em seu gabinete, na época.
Mandado de busca e apreensão

A Polícia Federal cumpriu mandado de busca e apreensão à Donisete, que recebeu os agentes em sua casa. Estes, levaram R$12 mil em dinheiro vivo e o celular do ex-petista presos. A justiça ainda negou o pedido de prisão temporária da PF.

Os relatórios que foram divulgados pela PF dizem um pouco mais sobre a justificativa usada para o pedido de prisão:

“Os elementos probatórios envolvendo os agentes públicos da Prefeitura de Mauá são sólidos, ao que se encontram delineadas todas as fases descritas no modus operandi das associações criminosas em comento visto que já temos indícios de fraudes em licitações e corrupção ativa e passiva praticados de forma reiterada, a saber, mensalmente durante todo o ano de 2016”

O outro lado

Nossa equipe tentou contato com Donisete Braga na tarde de ontem (9), porém, não obtivemos êxito. No entanto, a Prefeitura de Mauá, através do Portal da Transparência, diz que a empresa recebeu R$5,87 milhões em contratos para fornecimento de merenda escolar entre 2013 e 2016 (período em que Donisete esteve à frente do executivo mauaense).

Por Mauá Agora - Redação
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Setecidades - Clique Aqui
As últimas | Cidade
21/5/2018 | E segue a guerra fria no governo de Mauá
21/5/2018 | Após escândalo da merenda, páginas compartilham publicidade da Prefeitura
21/5/2018 | Novas vagas de emprego são oferecidas
As mais lidas de Cidade
15/5/2018 | Câmara de Mauá recebe pedido de impeachment de Atila Jacomussi
17/5/2018 | STJ nega Habeas Corpus e Atila segue preso
16/5/2018 | Preso, Atila se afasta do governo e Alaíde assume
As mais lidas no Geral
16/5/2018 | Homem morre esfaqueado após briga em fila do Bom Prato
15/5/2018 | Câmara de Mauá recebe pedido de impeachment de Atila Jacomussi
17/5/2018 | STJ nega Habeas Corpus e Atila segue preso
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2018 - Desde 2003 à 5552 dias no ar.