NOTÍCIA ANTERIOR
Atila se reúne com representantes da Polícia Civil em Mauá
PRÓXIMA NOTÍCIA
Carga de salmão é incinerada após cinco anos em aeroporto
DATA DA PUBLICAÇÃO 30/11/2017 | Cidade
Empresa que realiza exames avisa que paralisará serviços
Empresa que realiza exames avisa que paralisará serviços Terceirizada cobra dívida de R$ 3,8 mi e diz que interrompe amanhã; Paço fala em regularização. Foto: Denis Maciel/DGABC
Terceirizada cobra dívida de R$ 3,8 mi e diz que interrompe amanhã; Paço fala em regularização. Foto: Denis Maciel/DGABC
Contratada para realizar exames laboratoriais em toda a rede de Saúde em Mauá, a Afip Medicina Diagnóstica avisou que paralisará os serviços a partir de amanhã por falta de pagamento. A empresa cobrou o Paço e a FUABC (Fundação do ABC), que gerencia as unidades da cidade, por dívida na ordem de R$ 3,8 milhões.

Em comunicado publicado nos jornais, a terceirizada alega que os atrasos nos pagamentos por parte do Paço se arrastam desde outubro de 2016 e desde abril, no caso da FUABC. “A Afip manteve a operação com o padrão excelência cumprindo integralmente com todas as obrigações estabelecidas em contrato, notificando inúmeras vezes a Prefeitura de Mauá e a FUABC sobre a falta de pagamento (...) Para a manutenção dos serviços, a Afip buscou empréstimo bancário para honrar com os custos da folha de pagamento, logística, insumos, operação, além do 13º salário dos colaboradores contratados para o trabalho em Mauá”, diz a notificação.

Na carta, a empresa cita ainda que o governo do prefeito Atila Jacomussi (PSB) teria se prontificado a honrar com os pagamentos, “porém, mais uma vez, descumpriu o acordo e se manteve inadimplente”. “Apenas alguns poucos pagamentos esporádicos foram realizados”, relata a terceirizada.

Segundo apurou o Diário, além da Afip, a SPX Serviços de Imagem Ltda, contratada para realizar diagnóstico por imagem (raio X, ultrassonografia e tomografia) no Hospital de Clínicas Doutor Radamés Nardini e em outros equipamentos, também estaria se preparando para paralisar os serviços por calote. A dívida com a empresa corresponde a R$ 1,5 milhão, o equivalente a três meses de contrato.

Questionada pelo Diário sobre detalhes do contrato, da relação dos equipamentos em que a Afip atua e o que pretende fazer para impedir que a realização de exames no município pare, a Prefeitura de Mauá se limitou a afirmar que está “solucionando a situação para que os serviços não sofram problemas de continuidade”.

Por Júnior Carvalho - Diário do Grande ABC
Assine nosso Feed RSS
Últimas Notícias Setecidades - Clique Aqui
As últimas | Cidade
12/12/2017 | Casal é preso por furto de combustível
12/12/2017 | Parlapatões e Ailton Graça marcam reabertura do Teatro Municipal de Mauá
12/12/2017 | Mauá entrega revitalização do Parque da Gruta de Santa Luzia
As mais lidas de Cidade
11/12/2017 | Vereador de Mauá propõe isentar igrejas do município de obterem alvará para se instalarem na cidade
11/12/2017 | Paço de Mauá e FUABC iniciam costura de acordo
6/12/2017 | Mauá multará dono sujões de cachorros
As mais lidas no Geral
11/12/2017 | Vereador de Mauá propõe isentar igrejas do município de obterem alvará para se instalarem na cidade
11/12/2017 | Camelôs voltam às ruas da região
11/12/2017 | Paço de Mauá e FUABC iniciam costura de acordo
Mauá Virtual
O Guia Virtual da Cidade

Todos os direitos reservados - 2017 - Desde 2003 à 5392 dias no ar.